Retalhos da Imaginação #1 - Opinião "O Gato do Chapéu" + " Ovos verdes e presunto" de Dr.Seuss - Booksmile

Já há algum tempo que tenho vindo a pensar partilhar mais livros infanto-juvenis e ilustrados convosco, mas nunca tinha realmente arranjado o tempo necessário para me dedicar a esta ideia, no entanto, hoje consegui um espacinho na minha agenda para vos vir apresentar esta nova rubrica.


A rubrica Retalhos da Imaginação tal como referi acima, nasceu da necessidade de criar um pequeno espaço aqui no blogue dedicado aos livros direccionados para o público mais jovem e com o qual vou tendo a oportunidade de trabalhar devido à minha formação profissional (que ainda não acabou, julho chega rápido por favor!!). Engane-se porém quem pensa que estas preciosidades apenas se destinam aos mais novos, o bom dos livros desta categoria é que sempre têm algo para ensinar e para ser desfrutado até ao fim das nossas vidas.
Agora perguntam vocês : - Ana por que diabo escolheste este nome para a rubrica?
Bem, a resposta é bastante simples. A ideia é que se vá criando uma manta (imaginária) onde se vislumbre cada uma das histórias/contos que vos vou trazer, isto é, podemos dizer que se tratará de uma espécie de manta de retalhos que vamos construindo a partir da experiência que vou tendo do contacto com estes livros e que será partilhada convosco para que também fiquem a conhecer melhor este meu outro lado mais infantil e quiçá profissional (vou tentar, mas não prometo).

Sem mais demoras e para abrir com chave de ouro este novo espaço, trago-vos não um, mas dois livros de um dos mais conhecidos escritores de literatura infantil de todo o mundo - Dr.Seuss.



Para quem não conhece este autor ou não o consegue associar a nada que tenha povoado a sua infância, lembrem-se do clássico "How the Grinch Stole Christmas" ou como ficou mais conhecido cá em Portugal " Grinch" protagonizado pelo actor Jim Carrey. Vou deixa-vos aqui uma imagem do poster do filme, mal se apercebam que é aquele monstrinho rezingão verde que não gosta do Natal certamente que se conseguirão ligar ao trabalho do autor.
Agora que já vos situei mais ou menos no tipo de recordação que o nome Dr.Seuss vos pode trazer, convém dar-vos a conhecer o senhor e, para isso, vou pedir emprestada a biografia disponível nas nossas edição portuguesas da chancela editorial BookSmile.




Theodor Seuss Geisel


Dr. Seuss (1904-1991) é um dos mais queridos autores de livros infantis de todos os tempos, tendo sido traduzido para mais de 30 línguas e publicado mais de 60 títulos.
Que Amigo Levo Comigo? é a última obra do autor, descoberta recentemente. É com este livro que a Booksmile inicia a publicação das obras de Dr. Seuss, estando três obras previstas para lançamento em 2016: The Cat in The Hat, Green Eggs and Ham e How The Grinch Stole Christmas.
( biografia retirada dos livros e site da Booksmile, podem consultar a mesma aqui)
Para além da grafia
Como leram na biografia acima transcrita Theodor Seuss Geisel é conhecido não só pela construção de histórias infantis, mas também pelo seu gosto e trabalho de ilustração. A arte deste autor é maioritariamente representada através de aguarela em bristol ( segundo a Rleite que é expert na área, trata-se de uma espécie de cartão ou cartolina próprio para ilustração), no entanto, Dr.Seuss também brinda os seus leitores com alguns rabiscos desenvolvidos através da utilização de tinta, pintura a óleo, acrílico e caneta.
As suas ilustrações apresentam poucos elementos de fundo e é desenhado sempre numa perspectiva de criar distância e profundidade na ilustração.
As figuras são um pouco bizarras e parecem-se umas às outras de livro para livro o que acaba por se tornar numa espécie de imagem de marca que nos ajuda facilmente a identificar quem é o seu criador.
Gostaria ainda de salientar que este autor sempre teve muito cuidado na escolha da sua paleta de cores, isto é, apesar de apresentar pouca coloração, sempre optou por apresentar ilustrações onde as cores mais vibrantes primassem, de modo a captar a atenção do jovem leitor.
Nos livros abaixo mencionados poderemos ver um desses exemplos, em " O Gato do Chapéu" podemos encontrar ilustrações coloridas a vermelhos e azuis saturados que foram especialmente escolhidos para captar e manter a atenção das crianças da faixa etária dos 6 anos de idade no decorrer da narrativa.
Ficam aqui alguns exemplos de personagens presentes no livro "O Gato do Chapéu" para que possam observar a utilização da paleta de cores e a forma que este autor/ilustrador atribuía às suas personagens tão características.


Felizmente consegui agarrar 2 livrinhos deste autor para opinião e agora venho dizer-vos o que achei e com o que podem contar se os decidirem adquirir.


  • O Gato do Chapéu
Se acham que o Grinch é conhecido, então deviam espreitar o que se sabe e fez com a história presente no livro "O Gato do Chapéu". Este livro já foi adaptado ao cinema e de momento encontra-se a passar nas televisões norte americanas sob o formato de série animada.
Neste livro é-nos apresentado um problema bastante comum nos nossos dias (principalmente nestes últimos meses, obrigada S.Pedro!). 
Duas crianças encontram-se sozinhas em casa, sentadas à janela a observar a tempestade que se faz sentir naquele dia e não conseguem deixar de se sentir aborrecidas porque não têm nada para fazer e tudo o que gostariam de fazer dependia de melhores condições atmosféricas. No meio de todo o aborrecimento aparece um personagem muito bizarro que lhes quer mostrar que é possível encontrar diversão desde que eles queiram e se sintam capazes de arriscar fazer algumas tolices.
Este livro está recheados de situações extremamente engraçadas e as próprias personagens vão marcando a sua personalidade ao longo da narrativa.

De um lado temos dois irmãos que não sabem bem o que achar de todas as peripécias a que assistem e do outro  temos um peixe que vai ditando algum limite de ação a partir do seu aquário, funcionando quase como um o grilo do Pinóquio, que os vai alertando para a iminência de estarem prestes a tomar  uma decisão errada que mais tarde lhes vai trazer consequências pouco agradáveis.
Achei extremamente engraçado ver a oposição da personalidade despreocupada do Gato com a autoritária do Peixe que apesar da sua posição na cadeia alimentar tenta expulsar o nosso amiguinho e impor-se dentro de casa.

O Gato do Chapéu é um livro com duas morais, uma que vamos conhecendo durante a narrativa e outra que no final é claramente apresentada como uma espécie de conclusão acabando por se tornar no lição que a criança tira quando o livro é terminado.






  • Ovos verdes e presunto

Neste segundo livro são-nos apresentadas duas personagens bastante distintas: o Sam Eu Sou e o seu amigo (não tem nome).
Existe uma grande disparidade entre as duas personagem principalmente no que toca à sua forma de estar, isto é, o Sam Eu Sou é uma personagem bastante insistente que não quer desistir do objetivo de mostrar ao amigo que ovos verdes e presunto são de facto um petisco enquanto que do outro lado temos um amigo rezingão que se recusa sequer a provar.
Pelo que escrevi no ponto acima, não é dificil perceber qual é a mensagem que o autor pretendia transmitir com esta história e no final garanto-vos que se a história for bem contada e explorada com crianças que se encontrem na faixa etária ideal para o primeiro contacto com este livro, elas serão capazes de vos dizer que não devemos dizer que não gostámos sem primeiro provar.
Para vos ser extremamente sincera gostei muito mais deste livro que do anterior, pareceu-me menos confuso apesar de por vezes se tornar repetitivo e um pouco cansativo de ler.

Tenho a certeza que alguns de vocês se vão claramente identificar com o amiguinho do Sam Eu Sou porque todos nós temos aquele amigo que nos está sempre sempre a chatear para que façamos algo que ele espera que seja feito e nós acabamos por ficar tão saturados da conversa que acabamos por ceder e atender ao pedido, portanto acho que este livro acaba por se tornar um espelho de alguns momentos das relações e situações que vamos partilhando com amigos e familiares ao longo de toda a nossa vida.


Para finalizar esta opinião, falta-me apenas falar sobre o material dos livros e alguns aspectos mais específicos deste género literário.
Ambos os livros são de capa dura o que lhes confere uma maior resistência e permite que as crianças os consigam manusear sem os estragar com facilidade. Gostava só de dizer que o material das páginas é pouco adequado para o trabalho desenvolvido por educadores/professores e contadores de histórias. Não sei se sabem, mas temos a tendência de virar o livro para as crianças e ler por cima enquanto vamos virando as páginas, por isso, é imperativo que as páginas sejam facilmente viráveis à passagem dos nossos dedos para não quebrar o ritmo da hora do conto e eu senti que nestes livros não era fácil virar as páginas na posição em que me encontrava.
Relativamente à marca dactilográfica (disposição do texto e tamanho do mesmo) este encontra-se normalmente abaixo/acima das ilustrações ou enquadrado nelas, sendo que o seu tamanho é normal, mas a extensão das palavras, em alguns momentos, varia e dá uma sensação de rapidez, abrandamento, aumento ou diminuição de determinada coisa/momento/verbo criando assim vários ritmos de leitura e conferindo uma certa dinâmica às histórias.
O texto é semelhante a uma lengalenga, ao inicio pode parecer estranho, mas vai entranhando. Certamente que na língua oficial fará mais sentido, mas não deixa de ser uma estratégia interessante para captar o interesse dos leitores, afinal enquanto lemos parece que cantamos.
Admito que é difícil ler estes livros, há poucas paragens para respiração, o ritmo da leitura é quase alucinante, mas no fundo é isso que atribui a estes livros a sua dinâmica e acima de tudo provoca alegria durante a narração.
As guardas finais e inicias destes livros são iguais e apenas nos apresentam as personagens que realmente vão trazer a moral à história, isto é, é quase uma apresentação da personagem que vai mexer com a mentalidade do leitor e no final ensinar-lhe algo.




Só vos posso dizer, leiam-nos, partilhem-nos com toda a vossa familia que não se vão arrepender, mas se me permitem lançar-vos um desafio...tentem lê-los em voz alta respeitando a pontuação e fazendo jus às ilustrações que acompanham o texto. Acreditem que se vão divertir imenso e ainda vão divertir o público que escolherem para esse momento.
Dr.Seuss é sem dúvida um dos grandes nomes desta área e por mais anos que passem continuará a ser um nome de referência que encanta pequenos e graúdos com as suas ilustrações simples, histórias ritmadas e lições entrelaçadas.

Muito obrigada à BookSmile por ter proporcionado este momento e à minha prima por ser o meu público (bastante díficil de agradar)desde que nasceu!


Peço desculpa pela extensão do post, mas tinha mesmo de ser.

Espero que tenham gostado!!!


Beijinhos e boas leituras!!

P.s: fico à espera da vossa opinião:
- Gostam deste género de posts?
- Acham interessante?
- Querem ver mais publicações do género?

2 comentários:

  1. Muito interessante, gostei da ideia :-D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico contente que tenha(s) gostado ;)

      Obrigada pelo feedback!

      Beijinho*

      Eliminar