É o chão...
É a corrente de ar que te arrepia...
É o começo e o recomeço de um plano que há muito tens traçado, para ti, de ti, para o mundo...
É a vivência que te falta, aquele calejar que te lembra o esforço que dispensaste...
É aquele bater de asas de borboletas dentro do teu estômago...
É o crescer sem nunca abandonar o mesmo espaço...
É a essência da tua vocação, canalizada nas tuas tentativas falhadas e concretizadas...
É a incerteza de um futuro que já é teu, à distância de uma oração vã...
É aquele encolher de dor que te faz lembrar que até na felicidade tem de haver dor para que a consigas valorizar...
São todas estas coisas que te fazem acordar, a ânsia de sentir, de viver, deixar de te privar de ser humana, de falhar, reescrever-te nas medidas erradas e retomar o apontamento certo...
Aprende a viver sem contagem, sem medida, dá o passo, acelera para travar antes que o embate te esmague e te faça virar do avesso. Não mostres a tua carne, fortalece a tua pele, não escames, hidrata-te, alimenta-te de boa gente, bons momentos e bons recomeços.

Sem comentários:

Enviar um comentário