Tem calma, respira, conta até 3,4 ou 10, mas respira. Retorna à calma, escuta, levanta-te, ergue o queixo, não desistas, vive...
Vive porque o essencial é manter o corpo em compassado movimento, enquanto o fizeres pode ser que consigas fingir que não o ouves, ritmado, estridente, pequenino como se fosse um pássaro que cabe na palma da mão, na minha mão.
Sabes o que queres? Calá-lo, mas já pensaste no sufoco que seria querer respirar e não conseguir, querer sentir e não detectar a oscilação do pêndulo que te torna humana?
Pois, é essa angústia que te faz pensar e ver que talvez ser assim tão frágil não te torna mais fraca do que eles, mas ainda maior, um mal menor que floresce num bem superior ainda que não  o consigas ver hoje, nem amanhã, talvez nem se torne perceptível até o dia em que já não podes mais acordar. Vais jazer, entorpecida pela electricidade que rompe o batimento, te imobiliza e te faz sair do teu próprio corpo para um lugar ascendente, nunca descendente, não te penses merecedora de tal infortúnio e se por algum motivo afundares, lembra-te que me podes sempre convidar para comer um churrasco lá nas terras de sabe lá quem.
 És mais do que eles pensam e muito mais do que dizem, Tu és Tu e ninguém te pode tirar a ti mesma, não o permitas, bate o pé, esperneia, riposta e suporta porque ninguém pode ter o poder de te destronar.
Sorri, mostra a tua glória mesmo nos dias que a escuridão te cegue para o mundo, sorri, ilumina a vida de alguém, faz de ti um farol, uma luz guia que atrai quem teme sair do nevoeiro.
Não te ofendas quando te chamam de esquisita, ser esquisita é bom, destacaste e invejam-te, pensa que é melhor parecer deslocada do que ser um clone social vazio.
Recomeça do ponto em que paraste a tua vida, resume-a aos momentos que realmente valeram a pena e não desperdices o tempo que te resta com a imundice que te feriu, sara-te, espera que cicatrizes antes de permitir que alguém te volte a tentar arranhar.
Mantém-te firme, atenta, de cabeça no sítio e motivação no coração, procura quem te ama, quem te adora e quem faz de tudo para te manter fiel a ti mesma quando pensas que não és digna de te misturar com o resto do mundo, faz melhor, torna-te heterogénea em relação a ele, permite-te ser quem queres, como queres e partilha-o com quem é de bem porque o que é de mal vai-te enjoar, vai-te enojar e ainda pior, vai-te contaminar se não souberes onde tens de parar.
Não pares na encruzilhada, segue o teu instinto, não te percas e se te perderes descansa, alguém te vem buscar porque enquanto fores amada ou desejada vai haver quem lute pela tua presença.
Faz-te alguém, por ti e não por mais ninguém, convive, mas não te refaças, molda-te, mas não percas a tua forma, mantém única, persistente, mas acima de tudo HUMANA.



2 comentários:

  1. Olá, Visitando você, adorei o seu BLOG. Adoro ler um bom livro e o conteúdo do seu blog me agradou tanto que estarei , de agora em diante, aqui por perto só para ver as suas novidades.Tenho um BLOG novo e gostaria que você fizesse uma visitinha por lá. Abraços . NILDA http://oslivrosdaminhabiblioteca.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar